{Resenha} - Eu Te Darei o Sol - Jandy Nelson

Autor(a): Jandy Nelson
Páginas: 384
Gênero: Drama/Romance
Editora: Novo Conceito
Avaliação: 4/5
Sinopse: Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia. Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém. Contado em perspectivas e tempos diferentes, “Eu te darei o sol” é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.





Olá leitores, quanto tempo? Desculpem me a demora, mas é que no fim do ano a correria no meu colégio é gigante.

O livro resenhado será “Eu te darei o sol” da Jandy Nelson, ele conta a história de gêmeos que vivem em uma competição acirrada, mas que de uma certa forma são bem unidos, até que um terrível acidente acontece.

A obra tem uma narrativa bem dinâmica, já que o papel de narrador é dividido entre os gêmeos, ou seja, certas partes Noah narra e outras Jude, acho isso bem interessante, pois dessa forma os personagens podem se “justificar” e expressar as suas concepções.


A história começa com Noah aos treze anos, um garoto artista, criativo e introspectivo, um verdadeiro revolucionário, com manias estranhas de pintar na mente e imaginar autorretratos, a sua timidez é tamanha que o impede de ter qualquer amigo, até que um garoto, com chapéu esquisito, chega no bairro   e se torna o seu companheiro. 

A sua alma de pintor dele realmente me contagiou, além disso há uma inocência quando ele fala do mundo, infelizmente ela se perde depois de certas verdades que são descobertas.

 “As árvores estão dispostas lado a lado, o riacho hesita as plantas mergulham novamente na terra, os animais trocam de lugar nas sombras assim como nós.”

Depois a Jude aparece, quando narra ela é tão criativa quanto o irmão, mas a sua imaginação se torna prejudicial quando se trata de doenças, já que, ela se tornou hipocondríaca depois do acidente. Diferente da descrição que seu irmão faz, Jude se mostra vulnerável, supersticiosa e estranha, além de solitária, ela fala com a avó falecida e anda com uma bíblia que supostamente traz lições e sorte. 

“Uma pessoa detentora de um trevo de quatro folhas é capaz de repelir quaisquer influencias sinistras.” (Uma das lições da bíblia da vovó Sweetwine)

“-Eu também- digo- Sou feita de pedra também. Pensei exatamente isso outro dia. Acho que minha família toda é feita de pedra.Existe uma doença chamada FOP, fibrodisplasia ossificante progressiva...” 

Sinceramente eu não consegui decidir qual dos protagonistas se tornou meu favorito, acho que os dois tem suas virtudes e defeitos, amo isso, pois os torna mais reais e menos fictícios. Apesar de tudo, alguns detalhes me incomodaram, como o tamanho do livro acho que a quantidade de páginas o torna cansativo, junto a isso certos mistérios para mim se tornaram previsíveis (exceto quem é o Ralph, afinal quem iria imaginar aquilo!).

Enfim a escrita da Jandy Nelson é ótima, adorei conhecê-la demais, as menções que ela fez sobre conteúdos artísticos foram notáveis, gostei da simplicidade com que ela descreveu as cenas românticas. E a capa... que coisa mais linda, juro que escolhi este livro 50 % por conta da belíssima capa. 

Beijos, espero que vocês gostem!

Avaliação


By Beatriz Pereira


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar no "Leitor Sagaz" em breve seu comentário será publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...