{Resenha} - Para Onde Ela Foi - Gayle Forman - Novo Conceito

Autora: Gayle Forman.
Editora: Novo conceito.
Páginas: 219
Avaliação: 4/5
Sinopse:  Se você tivesse uma segunda chance para o primeiro amor... Você aceitaria? Já faz três anos que o amor de Adam salvou Mia após o acidente que mudou a vida dela. Três anos desde que Mia saiu da vida de Adam para sempre. Vivendo agora em lados opostos do país, Mia é um talento em ascensão na Juilliard, a conceituada escola de música, e Adam é o típico astro do rock de Los Angeles, com direito a notícias nos tabloides e uma namorada-celebridade. Quando Adam se vê sozinho em Nova York, o acaso reúne o casal mais uma vez, por uma noite. Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa de esperança e a chama do amor que renasce.



   O livro “Para onde ela foi” é a continuação de “Se eu ficar” um Best-seller, que também se transformou em filme, da escritora Gayle Forman, que tem um talento enorme, ela consegue misturar temas sérios com um romance juvenil. Mas a coisa mais admirável é o poder que ela tem em deixar a história impactante e verdadeira, mesmo que para isso ela tenha de fazer os personagens (e os leitores) sofrerem.



   No começo eu realmente achei que a escritora tinha se arriscado de mais e que talvez o livro não tivesse ficado tão bom quanto o primeiro, mas com o decorrer da leitura eu percebi que esta havia sido uma conclusão equivocada e injustificável, já que a narrativa de Adam é tão emocionante e quanto a de Mia. Não vou mentir a leitura do primeiro livro foi mais agradável, acho que existia mais ação e mais história ou talvez seja pelo fato de que eu sinta uma intimidade maior com a Mia, quase como se ela fosse minha melhor amiga, e por isso a narrativa dela me prendeu mais. Além disso, eu fiquei um pouco chateada já que eu gostaria de saber como foi que ela se sentiu após o acidente, queria saber mais detalhes de Julliard e também o quão difícil foi deixar o maior amor da vida dela para trás. Por isso se eu pudesse dar alguma sugestão a escritora seria a mixagem  das narrativas,entre Mia e Adam.

"Depois que ela se foi eu fiquei sozinho. Não havia ninguém para ocupar o lugar dela"

   Outra coisa que me fez amar ainda mais a obra foi que em cada capítulo, na introdução, há um trecho da música de Collateral damage, que é o CD feito em homenagem a Mia, as letras são lindas e cheias de emoção. A banda é tão falada no livro que você fica com impressão de que ela realmente existe, e que a qualquer momento vai sair uma noticia sobre os integrantes.

"Mas eu faria de novo. Faria aquela promessa milhares de vezes e a perderia milhares de vezes para tê-la ouvido tocar a noite passada ou vê-la esta manhã à luz do sol. Ou mesmo sem isso. Só para saber que ela estava em algum lugar aí fora. Viva."

   Uma outra coisa que me incomodou um pouco foi a capa, acho que ela é incoerente e que deveriam ter colocado uma foto da atriz Chlöe Grace (ela quem interpretou a Mia, no filme), fiquei até um pouco confusa antes de comprar o livro, já que na capa tem uma imagem de uma garota morena, e a que eu procurava era a de uma menina com um violoncelo ou algo do tipo .

Avaliação



By Beatriz Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar no "Leitor Sagaz" em breve seu comentário será publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...