{Resenha} - História Social dos Direitos Humanos

Bom dia caros amigos, venho aqui trazer uma nova resenha para vocês:

Autor: José Damião de Lima Trindade
Editora: Peirópolis
Páginas: 216
Sinopse: Este livro empreende uma investigação instigante e original de algumas questões que compõem um quadro amplo e bem documentado da evolução, mudanças de significado e desdobramentos práticos dos direitos humanos nos últimos duzentos anos.A obra propõe-se a descobrir como, e por quais motivos (reais ou dissimulados), as diversas forças sociais interferiram em cada momento no sentido de impulsionar, retardar ou, de algum modo, modificar o desenvolvimento e a efetividade prática dos direitos humanos na sociedade. Esse método de abordagem torna a leitura rica e estimulante pois, ao conduzir às conexões entre as leis e as condições histórico - sociais concretas que induziram ao seu surgimento, termina também por integrar, ao menos, aquelas referências mais indispensáveis - econômicas, políticas, filosóficas, religiosas, etc.- que estiveram na gênese dessas condições. ''

   Os três temas que compõem o título da obra levam o leitor a tirar conclusões óbvias do conteúdo do livro. História, sociedade e direitos (humanos) se entrelaçam nas páginas corridas do texto e formam um caldo grosso rico em conhecimento humano.


   A História se forma do presente para o futuro e não pode ser contada sem fazer referência ao corpo social. História daqueles que lutaram e derramaram sangue em busca de ideais ‘humanistas’. Social, pois, dos momentos que, embora dispersos no tempo, se encontram para formar uma teia sequencial de grandes conquistas. O Direito, aqui, visto como infante quando se trata de proteger o todo ao invés da parte. 
Ao longo do texto o autor descreve como os acontecimentos naturais influenciarão a vida humana na sociedade medieval e como esses três temas estão unidos. Sua projeção ainda está entre nós e, parece, continua em expansão.

   O autor é festejado quando o assunto é atuação na proteção do ser humano e defesa da paz social, de modo que sua obra consubstancia, na verdade, suas principais ideias e objetivos. José Damião retrata de forma precisa a linha temporal em que é possível vislumbrar o surgimento de um ‘Direitos Humanos’, uma vez que é necessário atenção para ligar os pontos dessa teia.

   Da peste bubônica à segunda guerra, o autor demonstra como os fatos sociais, verdadeiros massacres da humanidade, foram importantes para que hoje tivéssemos um rol, ainda em expansão, dos valores positivados nas Constituições.

   Nas primeiras páginas o leitor encontrará uma breve exposição dos acontecimentos que atingiram a humanidade e que se tornaram a base de grandes desejos de igualdade. Sem apelo a dogmatismos ou sem reverenciar ideais extremos, José Damião percorre os séculos e encontra o período sombrio do século passado: 1º e 2º Guerras Mundiais.Nesse meio tempo, ele relata como as formações classistas tiveram que perder vidas para conquistar direitos.

   É um livro de grande conteúdo moral, eu penso. Ao ler, é preciso entender que o livro contém milhares e milhares de nomes que foram esquecidos ao longo do passar do tempo, que foram perdidos dos pensamentos e nunca mais sussurrados. Homens e mulheres que pagaram o preço da vida para conquistar o direito de ‘ser humano’.

   Espero que todos tenham gostado, por favor deixem aqui sua opinião. Um abraço e até mais.


Antonio Joalison


8 comentários:

  1. Olá!

    Vim conhecer seu blog, estou lá no grupo da ANEB :D

    Curto desses livros mais, digamos, "tecnicos". Informação nunca é demais! Esse último parágrafo da sua resenha (muito bem escrito por sinal) foi decisivo pra eu resolver ler o livro! E já tô vendo que anotarei mil nomes pra pesquisar depois!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Amanda!

    Obrigada!!! Com toda certeza virá mais nesse mesmo estilo :) fique de olho no Leitor Sagaz!!!

    Beijocas da Deebs

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Bem já digo de antemão que esse livro eu não leria, mesmo lendo que ele é histórico, essa seria uma leitura maçante para mim. Sou fã incondicional de fantasia e romances. Livros teóricos, didáticos ou com um tema semelhante não me ganham. Porém fico feliz com a sua leitura e por ter elaborado a resenha com tamanha riqueza de palavras.

    Beijokas elis - http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Parece um livro legal, mas não tenho a tal paciencia pra ler sabe?
    beijos'
    garotaatrevida-01.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Bons frutos essa resenha já nos deu, hehehehe.

    Olá. Então, se deixei a impressão de que seria um livro recheado de tecnicismo ou cientificidade, foi somente isso: impressão. De foto, o livro é histórico, com enredo no Direito e nas Constituições. Mas tal enredo é pano de fundo, pois o que se destaca é a parte social da 'história'.

    Por exemplo, a) todos já ouvimos na quase exterminação da humanidade europeia quando atingidos pela peste bubônica, mas que consequências isso trouce para o dia a dia do homem comum, do camponês?; b) foi somente acontecer uma, duas guerras e em seguida surgir a ONU ou teve algum enredo por trás?; c) em que condições estava a mulher nesse cenário de grandes mudanças?; d) 8 de março, dia da mulher, surgiu simplesmente por um incêndio em uma fábrica, ou por uma lutazinha na praça, ou por uma guerra internacional...; d) e o 1 de maio, dia do trabalhador, quais os acontecimentos por trás do palco que levaram esse dia ao idealismo 'operarium'?

    O autor tem uma mão leve e suas palavras deixam cada parágrafo tão sutil quanto uma nuvem ao percorrer o céu livremente. No entanto, leva em si cada ponto necessário ao firmamento de um texto completo, que no final conduz cada um a uma reflexão sobre o ontem não de si, mão de tantos e quantos deixaram de viver para que tivéssemos o mínimo de humanidade hoje em dia.

    ********--------*******

    Também gosto de romances, de livros outros que não os técnicos de minha área. Mas confesso que sou bastante restrito. Meu autor estrangeiro preferido é Bernard Cornwell, cujas obras não sei qual motivo de não terem se tornado alvo do cinema. Mas bem, ele é conversa para outra história.

    Também deitei olhos em Marion Zimmer Bradley, com a imortal obra As Brumas de Avalon. Que leitura! Bom de mais.

    Outro, agora, é o Dan Brown, não por ser o 'da moda', mas por escrever bem.

    Na verdade, me restrinjo a tais autores. Romance é bom, tem o seu valor como cada coisa nesse vida. Mas, opinião firme, "nem só de romance viverá o homem".

    Estou conhecendo bastante coisa nesse blog do meu amigo Diego e não canso de parabenizá-lo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem meu caro Antonio Joalison, sua participação conosco só nos agrada, é uma opinião em outras vertentes da literatura, tornando o blog muito mais amplo.
      Com gostos e opiniões variadas, isso é o que forma o Leitor Sagaz, esperamos ver mais e mais textos seus.

      Abraço,

      Diego de França

      Excluir
  6. Gostei da resenha. Quero ler este livro! Estou procurando ler mais livros assim.

    Mariana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem a sua cara Mari :) leia sim!!!!!

      Beijocas da Deebs

      Excluir

Obrigado por comentar no "Leitor Sagaz" em breve seu comentário será publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...